Web Rádio TEV - Teatro Escola de Vitória

TEV - TEATRO ESCOLA DE VITÓRIA

Jornal ATRIBUNA >> MEMÓRIA TEV / 12/10/1975  Jornal ATRIBUNA >> MEMÓRIA TEV / 12/10/1975 03
  
Arquivo Público do Estado do Espírito Santo TEV - TEATRO ESCOLA DE VITÓRIA

Arquivo Público do Estado do Espírito Santo

COMPANHIA DE COMÉDIA LEDA STELLA
FUNDADO NO RIO DE JANEIRO

SENDO A PRIMEIRA ATRIZ:
IZABEL VASCONCELOS = (LEDA STELLA)

EURICO DE SOUZA:
(Teatrólogo, Professor de Teatro e Ator)

TEATRO ESCOLA DE VITÓRIA

FUNDADO 28/07/1951 - RG 23/01/1957
São considerados Sócios fundadores:
Eurico de Souza – in memoriam
Izabel Vasconcelos de Souza - in memorim
Ódila Nogueira de Souza – In Memoriam
Flodoaldo Togneri Viana– In Memoriam
Dirce de Souza Viana- In Memoriam
Maria Pulséria – In memoriam
Gerson Von Rondow
Floriano Accioly de Barros - in memoria

TEV - Teatro Escola de Vitória
ObituárioMorre Flodoaldo Viana (1920-2015)
Nascido em uma fazenda de Alfredo Chaves em 16 de outubro de 1920, viveu a infância em Cachoeiro de Itapemirim e se estabeleceu em Vitória em 1932. Sua estreia como ator aconteceu em 1938 ou 39, como ator da peça beneficente O Descobrimento do Brasil, encenada ao ar livre no adro da Igreja de Santo Antônio. Sua entrada definitiva no universo das artes dramáticas se daria em 1943 justamente em sua terra natal.
 
Dirigida por Eurico Souza Silva, a Companhia de Comédia Leda Estela corria todo o interior do Brasil e, naquele ano, aportou em Alfredo Chaves. Flodoaldo estava na plateia e, um, se enlevou com o que assistiu e, dois, se apaixonou pela filha de Eurico, Dirce Souza. As paixões o levaram a abandonar o emprego (na Farmácia Cunha) e casa em Vitória e seguir viagem com a companhia pelos rincões do Brasil. No mesmo ano, casou-se co Dirce em Cariacica.
 
De forma mambembe, viaja com a Companhia de Comédia Leda Estela entre 45 e 51. Neste ano, quando a companhia chega pela terceira vez a Vitória, uma ocorrência triste: um infarto fulminante leva Eurico Souza Silva. Ao mesmo tempo, Flodoaldo e Dirce se mostram enfadados da instável vida teatral mambembe. Outro fator; o casal já tinha filhos em idade escolar.
 
Decidiram, então, se fixar em Vitória. Fecham a Companhia de Comédia Leda Estela, mas não abandonaram os palcos: daí nasce em 28 de julho de 51 o Teatro Escola de Vitória. A primeira peça do grupo é de autoria de Eurico Souza Silva: As Cartas Não Mentem Jamais, encenada na Escola Normal Pedro II (atual Escola Maria Ortiz).
 
O TEV ficou ativo até 1962, encenado cerca de 30 espetáculos. Eram de 10 a 15 apresentações por mês, de quatro a oito no Teatro Carlos Gomes e as demais no interior do estado ou, raro, em outros estados. O privilégio de apresentações no mais nobre espaço teatral da cidade não se estendia a outros grupos. A explicação: além de honrar o aluguel, Flodoaldo já tinha sido maquinista do teatro, realizando com eficiência a operação de montagem e desmontagem da tela de cinema. A arrendatária do espaço, a Empresa Santos, recebia do TEV uma quantia proveniente das concorridas apresentações. A renda também cobria os modestos cachês dos atores.
 
Como se apresentava constantemente ao ar livre, o TEV se via premido a sempre renovar seu repertório. De quatro em quatro meses, montava um novo texto. Entre as peças, vale destacar o Auto de Natal, de Lúcia Benedetti, que estreou em 59, mas que ganhou mais elevada notoriedade entre 76 e 80, quando novamente encenada ao ar livre na Igreja de Reis Magos, na Serra. A montagem é precursora dos autos de Natal que, atualmente, todo ano são apresentados no Espírito Santo, sobretudo em Vitória e na Serra. 
 
As atividades extra teatrais de Flodoaldo o forçam a suspender as atividades do TEV em 1962. Ele administra um bingo e dirige uma empresa de som e publicidade. Pesa também o fim do contrato de arredamento do Carlos Gomes pela Empresa Santos. Em 1970, o então diretor do Serviço de Teatro da Fundação Cultural, Marien Calixte, convida Flodoaldo para comandar a administração do Carlos Gomes e criar um grupo teatral dentro do próprio teatro. Daí renasce o TEV, que passa a remontar peças de seu período áureo.
 
Segundo analise Oscar Gama, o teatro de Flodoaldo Viana e seu fundamental TEV se fazia mais pela prática do que por técnica e teoria. Era um teatro realista, de montagem e produção singelas. Daí o termo “primitivismo”: era uma estética que não se vinculava a técnicas mais sofisticadas de interpretação, dicção e expressão corporal. Características, que, no entanto, não impediram o TEV e seus fundadores de figurarem na história da conformação da cena teatral capixaba. 

TEV - Teatro Escola de Vitória

CONTATO:  (27) 3251 0843
CELULAR: (27) 9 9978 0102 / 9 9970 0102

WHATSAPP: - (27) 3251 0843 9 9978 0102 / 9 9970 0102

E-MAIL: - teatroescoladevitoria@yahoo.com.br

Referência de: UTILIDADE PÚBLICA


Dados do documento
Data: 17/04/1962
Publicação: 17/04/1962
Referência: UTILIDADE PÚBLICA
Ementa: Declara o Teatro Escola de Vitória de utilidade pública. ( TEV )

T.E.V - Lei 1.018/1962
Prefeitura Municipal de Vitória - Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, 1927 - Bento Ferreira, Vitória, ES - CEP: 29.050-945 - Telefone: (27) 3382-6000

TEV - Teatro Escola de Vitória
TEATRO COM FANTOCHES:
 O CONTADOR DE HISTÒRIAS

SHOWS COM:
FANTOCHES - COMPLETO / PERSONAGENS VIVO - MUSICAL
PALHAÇOS / MÁGICO / NEGA MALUCA

INTERAGINDO COM AS CRIANÇAS:
PERSONAGENS VIVO / PALHAÇOS / MOSQUITOS
SOMBRA - interventores de Sombras / BANDINHA DOS PIRILAMPO

ESCULTURA DE BALÕES / MAQUIAGENS INFANTIS
BARRACA COM:
PIPOQUEIRA  / ALGODÃO DOCE / ETC

ARTE - DESENHOS - PINTURAS E ATOR
CLICK
LUSIMAR PAIXÃO
TEV - TEATRO ESCOLA DE VITÓRIA  
DIRETOR - VICE PRESIDENTE 
LUSIMAR BARBOSA PAIXÃO  
DIRETORA - 1º SECRETÀRIA  
MARIA LUCIANA RIBEIRO DA SILVA 
DIRETOR - 2º SECRETÁRIO  
MARCOS HELMER DE ALCÁNTARA 
DIRETOR - RÁDIO TEV - FLAVIO GANDOFI
Web Rádio TEV
No Ar Agora:
Entre no SITE - Rádio TEV
Nenhuma postagem.
Nenhuma postagem.